Zagreb – Croácia

teatro-nacionalCapital e maior cidade da Croácia, Zagreb é formada de colinas

Os bairros Gradec e Kaptol, no alto de suas colinas, concentram edifícios históricos, igrejas, restaurantes e cafés e são a maior atração de Zagreb. Estivemos lá no início do inverno, mas tivemos a sorte de pegar um “veranico”, e a cidade pulsava. Pessoas lotavam cafés com mesinhas nos calçadões, praças e pontos turísticos, para usufruir tudo de bom que a cidade oferece, antes da chegada do frio.

praca-sao-jorgeE Zagreb tem muito a oferecer. Com cerca de um milhão de habitantes, possui 20 teatros, três salas de concerto e cerca de 60 museus e galerias de arte. Ah! E igrejas. Muitas e lindas igrejas. Além de mercados ao ar livre e monumentos.

A capital croata é uma das cidades mais antigas da região, habitada desde o período Neolítico. Mas seu nome – Zagreb – foi registrado pela primeira vez no século XI, quando o rei húngaro Ladislau I fundou uma diocese no monte Kaptol. Logo, uma comunidade secular independente formou-se no monte vizinho, chamado Gradec. As duas localidades foram invadidas pelos mongóis, em 1242 e, quandos estes se retiraram, o rei húngaro Bela IV proclamou Gradec uma cidade laica autônoma. Nos séculos seguintes, as duas localidades competiam econômica e politicamente, até que, no século XVIII, fundiram-se, constituindo a cidade de Zagreb.

Para quem, como nós, chega a Zagreb vindo das belas cidades croatas da costa do mar Adriático, esta pode, a princípio, parecer não muito atraente. Mas, à medida que vamos explorando a cidade, vemos que há muito o que ver e curtir.

praca-banPara explorá-la a pé, o melhor ponto de partida é a praça Ban Josip Jelačić, situada no sopé das duas colinas (Gradec e Kaptol). É ali nessa praça, cercada de construções do século XIX, que as grandes manifestações e comemorações acontecem. Os jovens costumam marcar encontros ali, embaixo do “rabo do cavalo” da estátua do governador que dá nome à praça. Uma curiosidade: inaugurada após sua morte, a espada do governador apontava para a direção do Império Austro-Húngaro, numa alusão à sua luta contra os Habsburgo pelo fortalecimento da automia da Croácia. Quando o Marechal Tito assumiu a República da Iugoslávia, após a Segunda Guerra Mundial, a estátua foi dali retirada, retornando apenas com a independência da Croácia, em 1991. Desta vez, com a espada voltada para o sul.

portao-de-pedraPara chegar a uma das partes mais antigas de Zagreb, Gradec – que se situa em sua colina mais alta –, a partir da praça Ban Josip Jelačić, a melhor opção é ir pela rua Radićeva até o Portão de Pedra, porta de entrada para o bairro. Na passagem pelo portão (na realidade, um pequeno túnel curvo), há um nicho gradeado, com uma pintura da Virgem Maria, padroeira da cidade, que se tornou ponto de oração, desde 1731, quando sobreviveu a um incêndio que atingiu o local. Hoje, já há até bancos para os fiéis ficarem mais confortáveis.

igreja-sao-marcosEm Gradec fica a praça de São Marcos, com a igreja com o mesmo nome, construída no século XIV e reconstituída diversas vezes, após terremotos e incêndios. A Igreja de São Marcos, com as cores da bandeira da Croácia e um escudo que representa as três áreas que formaram o país – a antiga Croácia, a Dalmácia e a Eslovênia –, é considerada um dos símbolos de Zagreb. Ficam também em Gradec o Museu Croata de Arte Naif, sobre os qual falaremos separadamente, e a Igreja de Santa Catarina.

catedral-muralhaSaindo da praça Ban Josip Jelačić, pode-se chegar também à praça Kaptol, onde se situa a Catedral da cidade, construída, originalmente, no século XI e, após, reconstruída em estilo gótico. Umas de suas duas torres, destruída no terremoto de 1880, está sendo reformada. A praça é cercada de muros de pedra, construídos em 1473, para protegê-la contra a invasão otomana. Em frente a catedral, há uma fonte com a imagem da Virgem Maria no alto, e quatro anjos a seus pés, representando a humildade, a fé, a esperança e a inocência. A alguns metros dali, fica o famoso mercado Dolac, ao ar livre.

ruas-cafesZagreb é uma cidade para ser curtida com calma. É muito prazeroso sentar em um de seus cafés ou restaurantes, lotados de gente bonita e alegre. Se a opção é caminhar pelas ruas de Kaptol, apreciando suas lojinhas de lembrancinhas típicas, a diversão também está garantida!

por-conso

Compartilhe!

Tweet this! Reddit Digg This! Bookmark on Delicious Pin it Share on Facebook

Deixe uma resposta

*

O seu email não será publicado.Preenchimento obrigatório*

*