Hvar – Croácia

A região da Dalmácia é uma das mais encantadoras da Europa e a mais visitada da Croácia. A costa rochosa é repleta de pequenas e grandes ilhas isoladas no meio do mar ou em torno das belíssimas cidades do litoral do Adriático.

Em razão das relações com a Itália, a cultura que floresceu nessa região tem forte influência daquele país, facilmente percebida em toda a extensão de sua costa. A Dalmácia viveu sob domínio romano por mais de três séculos e da República de Veneza por quase cinco séculos, o que durou até o século 18.

A história de Hvar, ilha considerada uma joia do Adriático e que foi uma rota marítima desde a Antiguidade, começa no século IV a.C., quando os gregos fundaram a cidade de Dimos, a Hvar de hoje, onde ainda existem vestígios dos romanos, bizantinos e croatas. Os venezianos fizeram dessa ilha um porto seguro para os navios que iam e vinham do Oriente e nela construíram palácios e mosteiros. Hvar tem uma longa tradição de cultura e arte e ali foi construído um dos primeiros teatros da Europa. Seus muros abrigam tesouros de arte e arquitetura.

A melhor maneira de ser apresentado à cidade é subir no alto do morro, onde se encontram as ruínas de uma importante obra militar, construção que, desde o século 16, leva o nome de Fortaleza Spanjola. Situada ao norte da cidade, é uma construção que data do Iº século a.C. Passou pelos bizantinos no século VI, durante o reinado de Justiniano, cujos vestígios ainda podem ser vistos na muralha ao lado sul da colina. Durante séculos ela protegeu a cidade, e mesmo assim foi incendiada pelos turcos no século 16, após o quê, foi reconstruída.

Hoje, as ruínas dessa fortaleza são um monumento-símbolo da rica história da cidade. Além de bem conservada, sua especial e pitoresca localização a classifica como uma das mais belas fortalezas da Costa da Dalmácia. De lá de cima, a vista é de tirar o fôlego, com visão de 360º das ilhas do entorno e da marina, do mar muito azul, da cidade antiga lá em baixo e da praça principal, com a Catedral de Santo Estevão.

Descemos o morro a pé até a cidade, por um caminho estreito, perfumado pela lavanda que brota ao longo da colina. A praça principal é ampla, e os monumentos mais importantes ficam localizados em três de seus lados, já que o quarto é aberto para o mar.

A Catedral Gótica de São Estevão é uma sóbria construção medieval, com vários altares que a decoram, uma tela barroca, uma  pintura veneziana do século 17 e até um ícone do século 13, “a Virgem da Peregrinação”, que  é um dos mais antigos ícones de toda Croácia.

Em um dos lados da praça, está a Torre do Relógio, do século 15, e, em frente ao pequeno porto, o teatro construído em 1612, o primeiro teatro público da região dos Bálcãs e um dos mais antigos da Europa. Ao redor da praça, a cidade antiga e o centro histórico, com ruas pequenas e estreitas, são um passeio pela história medieval. Ao lado da praça, um pequeno porto, com barcos e iates luxuosos, bares e charmosos restaurantes.

Demos a volta pelo porto, caminhamos pelo píer para visitar o antigo Convento de São Francisco (1460), que fica situado em frente ao mar, e percorrer seu sóbrio claustro medieval.

Se não for possível ficar hospedado na ilha, vale muito o passeio de um dia inteiro.  Vários barcos saem de Split em direção a Hvar. É um passeio lindo, navegando por um braço de mar que leva ao destino.

No final da tarde, voltamos de barco e tivemos um belo por de sol na entrada do porto de Split.
Para aqueles que tiverem um pouco mais de tempo, é interessante ficar hospedado em Hvar, para visitar a cidade de Stari Grad, fundada pelos gregos no IV a.C.,  e que fica situada do outro lado da ilha.

A Ilha de Hvar, que cheira a lavanda, com quase 70km de comprimento, é um dos locais mais ensolarados da Europa e reúne tudo isso: é belíssima, cheia de sol, com seus campos de flores que perfumam os caminhos, com testemunhos de diferentes culturas e épocas, com arte, história e beleza.

Ilha de Hvar
Mar Adriático, Costa da Dalmácia, região de Split.
Atenção: restaurantes, lojas e bares permanecem fechados no inverno.

 

Compartilhe!

Tweet this! Reddit Digg This! Bookmark on Delicious Pin it Share on Facebook

Deixe uma resposta

*

O seu email não será publicado.Preenchimento obrigatório*

*